Menina chinesa usa robô para fazer seu dever de casa

Menina chinesa usa robô para fazer seu dever de casa

De acordo com uma reportagem recente de um jornal chinês, uma menina gastou 800 yuanes (cerca de 120 dólares) que ela economizou do Ano Novo Lunar para comprar um robô. Um que ela não comprou porque era legal ou porque ela gosta de robôs. Em vez disso, ela tinha um propósito específico em mente para a máquina – fazer os trabalhos de casa para ela, do tipo que é comum na China e envolver escrever frases de livros que ajudem a aprender a língua e os caracteres chineses.

De acordo com o South China Morning Post, a mãe da menina descobriu o robô enquanto limpava o quarto da filha. E, previsivelmente, ela quebrou para ensinar uma lição à menina.

A mãe aparentemente percebeu que algo estava errado quando sua filha conseguiu completar todos os trabalhos de casa em apenas dois dias, com caligrafia, apesar de também fazer malabarismos com as festas e viagens que pareciam deixar pouco tempo para fazer o trabalho.

As notícias sobre a inventividade da jovem realmente provocaram uma enxurrada de comentários simpáticos de usuários chineses em mídia sociais. “Dá um tempo para ela, o quanto é significativo copiar mesmo assim?” Comentou um comentarista no Weibo, a popular plataforma de mídia social na China, segundo o The New York Times.

“Proficientemente ler e escrever em chinês requer conhecer milhares de caracteres”, continuou o jornal. Copiá-los em exercícios repetidos é um trampolim na educação chinesa para aprender a escrevê-los livremente – e os alunos também são às vezes solicitados a transcrever um texto literário da memória, de acordo com o NYT. É um trabalho tedioso, no entanto, o que explica por que a menina usou o robô em busca de ajuda.

Leia também: Robôs educacionais estão virando tutores nas escolas

Não são só os estudantes na China que, por vezes, recorrem a estes robôs que seguram a caneta. O South China Morning Post encontrou uma professora que reconheceu o uso de um desses robôs para os preparativos da aula. Curiosamente, ela passou uma semana escrevendo 6.000 caracteres chineses para criar sua própria fonte, mas ela disse que ninguém poderia dizer a diferença entre o estilo de escrita do robô e o dela.

O que você faz das notícias sobre a jovem menina, enquanto isso, pode ser uma espécie de teste de Rorschach para as atitudes das pessoas em relação à tecnologia. Tudo o que sei é que eu gostaria de ter um desses para me ajudar nos deveres de casa – e se você for honesto consigo mesmo, provavelmente também gostaria de ter feito isso.

[Total: 1    Média: 5/5]